23 de jun de 2011

Letuce - Couves EP - 2010

Você já deve conhecer Letícia Novaes, talvez da telinha da TV, mas não como a apresentaremos aqui. Ela tem uma voz afinada, doce, emocionada e carregada de paixão. Um timing impecável que só tem quem entende mesmo de música e sabe improvisar. É atriz formada pela CAL (escola de teatro Casa das Artes de Laranjeiras) e foi uma das primeiras mulheres cariocas a fazer “stand-up comedy”. Em 2008, fundou junto com seu namorado, o multi-instrumentista Lucas Vasconcellos, o projeto Letuce.

Letuce é a banda dos dois namorados que contam com o apoio de Rodrigo Jardim (baixo) e de Thomas Harres (bateria). Letícia é quem canta e dá um show de presença de palco. Lucas fica no backing vocal e cuida do violão/guitarra e de um sampler que  às vezes fica a sua frente. É inevitável não notar a afinidade entre o casal. Ao menos sobre o palco eles demonstram total sintonia e parecem saber, o tempo todo, o que o outro está pensando e sentindo.

Em 2009, os músicos lançaram o primeiro CD (“Plano de Fuga Pra Cima dos Outros e de Mim”) na base do “paitrocínio”. Este álbum que trago para vocês é um EP lançado em 2010 pela banda com cinco covers. Normalmente são releituras de pagodes que fizeram muito sucesso em algum momento e tem uma letra de amor. Acontece que esses covers não se parecem nem um pouco com as músicas originais. Letuce desconstruiu e reconstruiu todas as músicas de uma maneira totalmente surpreendente e singular.

Em 2010, além de lançar o EP, o grupo integrou um projeto de muita qualidade que certamente está entre os mais originais do ano. Como informa o Sai da Rede, “...junto com o artista visual Paulo Camacho, o casal se reuniu para protagonizar o ‘Churrasquinho Sunset’, temporada apresentada no início do ano na (finada) casa carioca de shows Cinemateque. No repertório, clássicos de qualquer churras na laje que se preze: SPC, Roxette, Raça Negra, Agepê, Elymar Santos…” E parece-me que este ano o projeto rolou novamente.

O novo disco é um trabalho mais elaborado, refinado e também mais caro. Para ter um estúdio de primeira, um engenheiro de som, masterização, e poder alugar “equipamentos e instrumentos que fazem toda a diferença, como os incríveis microfones de fita”, a banda desta vez está recorrendo a um novo modo de captar recursos. É o Embolacha, um projeto de crowdfunding em que a banda dispõe recompensas em troca de um aporte financeiro. Tem desde um link em primeira mão para baixar o disco (por R$ 20) até um show particular (por R$ 5 mil), passando por jantares e aulas de violão.

Pela qualidade do som, é bem provável que consigam o valor que desejam rapidamente. Vai por mim, ideal para uma noite de queijos e vinhos com alguém especial, este som precisa estar em sua coleção.

É todo seu!

Fonte: Estadão


Contato: MySpace
               Twitter
               Facebook

Nenhum comentário: